pt

Notícias

28 de Maio - Dia Internacional da Saúde Feminina

O Dia Internacional da Saúde Feminina foi criado em 1987 e visa alertar para as desigualdades que existem entre homens e mulheres no acesso a cuidados de saúde.

 

Existem ainda patologias associadas ao género feminino que necessitam de um acompanhamento profissional especializado. Este dia, tem também como objectivo alertar as mulheres para os sintomas que possam estar associados a estas patologias e para a necessidade de terem uma higiene diária cuidada para evitar infecções ginecológicas.

 

A desigualdade no acesso a cuidados de saúde é ainda mais evidente em países em desenvolvimento, levando a que muitas jovens e mulheres sejam alvo de discriminação no acesso a cuidados de saúde.

 

Neste momento, os principais aspectos de discriminação que se pretendem erradicar são:

 

- A negação ao serviço de aborto legal e seguro motivado por crenças;

 

- A violência obstétrica a que várias mulheres são sujeitas pelos profissionais de saúde, inclusive através de agressões físicas e verbais, recusa de atendimento e realização de procedimentos e intervenções médicas desnecessárias;

 

- Privação no acesso a métodos contraceptivos, inclusive os de emergência;

 

-Esterilização coagida ou forçada como método contraceptivo. Existem muitos países a forçarem mulheres a laquearem as suas trompas ou a remover os órgãos reprodutores em casos de infecção por VIH, transgéneros, que sofrem de algum tipo de deficiência ou simplesmente para controlo populacional.

 

Qualquer um destes actos é um atentado contra os direitos da mulher e é discriminatório. A mulher deveria poder tomar decisões sobre o seu próprio corpo, inclusive, sobre quando pretende engravidar e o número de filhos que ambiciona ter.

 

Em Angola, a mortalidade infantojuvenil continua a ser um problema de saúde pública. Apenas 61% das mulheres tem 4 ou mais consultas de acompanhamento pré-natal e apenas 46% dos partos ocorrem em unidades de saúde. Apesar disso, há um grande investimento nesta área e o acesso a cuidados de saúde neonatais tem vindo a melhorar.

 

A Elnor Pharma reconhece o trabalho que ainda há a fazer em prol da mulher e dos seus direitos, entre eles, à saúde, ao planeamento familiar, contracepção e à reprodução saudável. Para isso, disponibiliza kits individuais para ginecologia, para uma resposta imediata.

 

Consulte aqui os Kits de Emergência, que incluem Parto e Ginecologia.

28/05/2020

Tem dúvidas ou questões?

 

Deixe-nos aqui a sua mensagem ou peça para ser contactado.

Este site utiliza cookies, para uma melhor navegação. Ao continuar a navegar estará a acentar a sua utilização. Saber Mais